Notícias

Em nova reunião de negociação, ontem, 24, a Claro apresentou uma proposta que chocou a Comissão da FENATTEL: reajuste de 0,5% na data base (setembro); manutenção dos valores dos pisos e benefícios; extinção da cláusula de garantia de emprego após 30 dias de retorno das férias; alteração da complementação do auxílio doença, reduzir o período para 60 dias; e alteração do banco de horas para incluir todas as horas extras realizadas. E não houve evolução na discussão do PPR/2017.

 

A Comissão prontamente recusou as propostas maléficas da Claro e reforçou a importância das cláusulas de reivindicações dos trabalhadores.

 

Após avaliar o que foi pontuado pela bancada sindical, a empresa mostrou uma segunda sugestão, alterando apenas um aspecto: de o reajuste salarial ser de 0,7%. A Comissão da FENATTEL mais uma vez negou a proposta e reiterou a necessidade de concluir o processo negocial com seriedade e respeito à pauta.

 

Ao final da reunião, os representantes da Claro declararam a possibilidade de reajustar os salários em 1%. A bancada sindical insistiu e apresentou contra proposta, com itens como: reajuste nos salários, pisos e benefícios equivalente ao INPC + 2% de aumento real; redução da elegibilidade para o PPR; retirar a meta gatilho condicionante para o PPR; e as demais cláusulas da pauta de reivindicações.

 

A empresa se comprometeu a avaliar as propostas da Comissão e trazer melhores sugestões de reajuste para os trabalhadores.

 

Nós não aceitaremos migalhas!

 

Uma nova reunião está prevista para o dia 22 de novembro

 

 

Hashtags: