Notícias

Conjuntura atual: cresce número de reajustes abaixo do INPC em 2019

04/07/2019 | FENATTEL - informações Dieese

Os dados das negociações coletivas de 2019 parecem confirmar a tendência de piora dos reajustes salariais, evidenciando as dificuldades enfrentadas pelo movimento sindical após aprovação da deforma trabalhista e diante de um governo que quer acabar com a organização dos trabalhadores.

 

Na data-base de maio, com 185 registros de reajustes até o momento, a proporção de reajustes abaixo da inflação ficou em 72,4%.

 

De maio de 2018 a abril de 2019, professores e auxiliares administrativos da educação básica realizaram 247 greves, segundo o SAG-DIEESE (o Sistema de Acompanhamento de Greves). A demanda por reajuste salarial fez parte da pauta de metade das mobilizações.

 

Diante das dificuldades colocas pela deforma trabalhista, o movimento sindical tem lutado por reajustes e benefícios e pela manutenção de direitos conquistados.

 

O contrato de trabalho intermitente, introduzido pela deforma, permite a contratação por meio de acordo individual de empregados que prestem serviços de forma descontínua, com alternância de períodos de prestação de serviços e de inatividade.

 

Para proteger o trabalhador, os sindicatos têm negociado cláusulas que asseguram garantias que limitam ou proíbem o contrato intermitente.

 

Por isso, os trabalhadores precisam se unir aos sindicatos contra a retirada de direitos.

 

Confira a análise completa feita pelo DIEESE sobre o tema, clique aqui.

 

Hashtags: